image

Este é o Rui Dantas Rodrigues. Sem maquilhagens, nem outros artifícios, aqui, no Cowork Funchal. O bigode é verdadeiro e as pantufas, essas não vamos comentar.
É daqueles coworkers que espalha boa disposição, e é por isso mesmo que, quando está fora a trabalhar, todos lhe sentem a falta!
O Rui está connosco desde o início. Entrou no Cowork Funchal directamente para um escritório. Caso para perguntar: “Mas logo ele, que é uma pessoa tão descontraída e informal?” True story. O Rui optou pelo escritório, porque o seu trabalho em audiovisuais implica ter espaço, em dobro, para tanto equipamento! Compreende-se. Mas logo que absorveu o espírito “da coisa”, já nos estava a pedir para passar para uma mesa cowork. Percebeu que, nas mesas, estaria a trabalhar lado a lado com outros coworkers competentes e criativos, que não teriam qualquer problema em partilhar opiniões sobre os seus vídeos e até mesmo contribuir com alguma ideia.

O trabalho do Rui

O Rui criou a Terminal 7 em Outubro de 2012. A experiência, essa já vem de trás, tanto como operador de câmara, como editor e até mesmo como realizador. É com orgulho que nos fala, por exemplo, da realização da sua primeira curta-metragem, que nasceu de um rascunho … e chegou ao Festival de Cannes, em 2009.
Hoje, ele é director e editor da T7, empresa que opera no ramo das produções audiovisuais, com sede no Cowork Funchal.

image

Mas em que é que a T7 se distingue de tantas outras que existem no mercado? O “chefe” não hesita na resposta: “a diferença está no caminho que escolhemos percorrer e, naturalmente, no resultado final.”
Sempre que tem um novo trabalho publicitário na calha, o Rui sente-se na obrigação de aprender a própria profissão do cliente, o que faz dele um carpinteiro, um pescador ou o gestor de uma grande empresa… pelo menos por um dia!
A criatividade e a inovação são outros dos pontos que tem a seu favor. “Não queremos ir por caminhos convencionais. Procuramos sempre novos ângulos, guiamo-nos muitas vezes por ideias que, à partida, parecem parvas e que acabam resultando em grandes campanhas publicitárias! Na T7, fazermos questão de mostrar o mundo de uma forma diferente.

Estou longe de ser o melhor no que faço, mas trabalho para o ser. Tento puxar todas as minhas produções a um nível cinematográfico. Sou muito exigente com a minha equipa e também sou bastante perfeccionista… Mas sei que é isso que me faz ter sempre um trabalho diferente do outro.”

Privacidade e placas pladur

Tratar da contabilidade da sua empresa num open space, onde trabalham outras empresas, podia muito bem ser um problema para o Rui. Afinal, onde é que começa e termina a privacidade de um coworker? “Neste momento, estou a dividir um espaço, no Cowork, com outras 3 empresas, mas sinto-me completamente à vontade com todas elas! As pessoas que cá estão transmitem-me segurança.  Não é preciso criar divisões em pladur entre as mesas, como sugeria alguém no outro dia, para te sentires mais seguro! O pessoal do Cowork sabe respeitar a privacidade de cada um!” E foi assim que este coworker arrumou o assunto em três tempos.

Como nos filmes: uma grande família feliz!

“Sim! Trabalhar no Cowork é como estar em casa… sinto que estou rodeado por uma grande família! Há mesmo espírito de entreajuda. E é para mim uma grande satisfação partilhar contactos com os outros coworkers, saber que posso contribuir para o crescimento deles e que também eles recomendariam o meu trabalho sem pestanejar!
E, se pensares bem… Tens aqui coworkers de áreas tão diferentes… Designers, arquitectos, consultores, gente a trabalhar tecnologia de informação… Se precisas de um serviço, para quê ir mais longe? Provavelmente encontras aqui alguém competente para fazer o que precisas!”

Mas trabalhar em casa não é mais barato?

“Pode até ser…- confirma ele – “E em casa podes andar só de cuecas…” Depois de uma pausa assustadora no seu discurso, sentimos que afinal não estava tudo perdido: “Mas em casa distrais-te mais facilmente com o avô, com o cão ou com a prima a te chateiam o miolo. Aqui, não. Tens a pausa para o café e para o almoço na copa, com os outros coworkers, mas sabes que tens as tuas horas para trabalhar, mesmo ao lado de pessoas que não trabalham na tua empresa!  Acaba sendo sempre mais produtivo. E não é nada caro, se pensares que não tens que te preocupar com limpeza, luz, net…”
Estamos aqui nós para confirmar que é verdade e acrescentar que o IVA também está incluído no preço!

Os novos empresários e os bichos do mato

Pedimos uma última opinião: afinal, qualquer empresa pode estar no Cowork Funchal? “Sem dúvida! É preciso abrir horizontes, isto é o futuro!
Naturalmente que ainda encontramos, por aí, um ou outro empresário alheio a esta nova forma de trabalhar, pouco aberto a toda esta interactividade e a este ambiente familiar, a toda esta troca de experiências… A esses indivíduos, só posso aconselhar que se mudem para o meio do mato e que cavem umas trincheiras, a ver se conseguem atrair clientes! A idade das cavernas acabou! O futuro dos empresários só pode passar por estas parcerias, por esta troca de ideias e de serviços. É preciso deixarmos de pensar apenas no nosso umbigo e trabalhar, sim, para um benefício conjunto.
Melhor localização estratégica que aquela que o Cowork Funchal nos oferece é impossível! É que, para além de todo este ambiente que se vive cá dentro, aqui ficamos próximos de qualquer serviço: Finanças, segurança Social, CTT, bancos, Câmara Municipal… O que é que podes pedir mais por 130€ por mês?! Até cozinha e sala de reuniões tens aqui!

image

E por fim… o bigode!

Já estava mais do que na hora de perguntar: – Esse bigode é para quê? Para te levarem a sério?
E foi entre risos que o coworker do bigode confirmou: “É rara a pessoa que me leva a sério, a menos que eu esteja a falar de trabalho. Comecei com o bigode por gozo, confesso. E, hoje, uso o meu  bigode como um “gancho de memória”. Depois de me conheceres ou ouvires falar de mim, é quase improvável não associares o bigode ‘ao gajo que faz os vídeos’. Tirar o bigode agora? Não. É um excelente quebra-gelo, nas muitas viagens que faço a trabalhar!”

The proof that coworking works: 2500% return on investment

The proof that coworking works: 2500% return on investment

© Copyright 2017 Cowork Funchal - Todos os direitos reservados

Contactos